Equilibrando as áreas da vida – porque a roda não pode parar

0
6

Nossa vida é comparada a uma grande roda composta basicamente por quatro áreas principais: pessoal, profissional, relacionamentos e qualidade de vida. Essas áreas podem ser subdivididas em campos específicos, nos quais há questões mais pessoais e subjetivas.

Não é possível estabelecer uma hierarquia. Essas áreas da vida se complementam, já que somos o resultado da união de todas elas. Nesse sentido, cada uma guarda sua importância e valor, por isso dedicarei um espaço para cada uma delas, começando pela área pessoal.

É comum pessoas assumirem tantas responsabilidades em suas vidas que acabam deixando a área pessoal em segundo plano. Muitas vezes se esquecem que têm um corpo, emoções, sentimentos e necessidades, seja por se dedicarem em excesso aos outros, seja por falta de se conhecerem melhor. Porém, o cuidado com o corpo e a mente é essencial. Faça uma autoanálise sobre o quanto você tem se preocupado com a sua própria saúde, seu aprendizado e desenvolvimento. De acordo com o resultado, tome a iniciativa de incluir na sua rotina semanal atividades que contemplem sua vida particular.

O que dizer da área profissional? A pressão para conquistar o sucesso no trabalho é tão grande que, não raro, seguimos um caminho conturbado, que não considera nossas habilidades nem o nosso propósito. Caminho muitas vezes traçados por outros e que aceitamos trilhar apenas para sustentar uma imagem social de que somos bem-sucedidos. Porém, quando separamos nossa atividade profissional de quem realmente somos e do nosso propósito de vida, o resultado será falta de satisfação e de alegria. Talvez seja o momento de refletir: faz sentido trabalhar com o que você trabalha? Seu campo profissional se relaciona com as demais áreas da sua vida? Seu trabalho contribui para o mundo ou é apenas um meio de gerar dinheiro? Alinhar a nossa vida profissional com as nossas habilidades e propósito de vida resulta em melhor saúde mental, realização e felicidade!

A área dos relacionamentos tem a ver com a família, contato amoroso/afetivo e vida social. Embora não seja fácil, conviver é a maior dádiva do ser humano, já que somos seres sociais por excelência. Devemos nos lembrar que o isolamento é prejudicial e pode nos levar à depressão. Por isso, convido você a avaliar, em uma escala de 0 a 10, o quanto está se dedicando à vida social, aos amigos e conhecidos e, de acordo com o resultado da sua avaliação, planeje uma atividade para melhorar esse campo.

Por último, temos a área da qualidade de vida, compreendendo espiritualidade, hobbies/lazer e felicidade. Esse campo envolve, além dos hábitos saudáveis que devemos cultivar, nossa adaptação à cultura e aos valores da sociedade da qual fazemos parte. Nesse sentido, faça uma avaliação sincera sobre o quanto está se dedicando aos seus hobbies e às coisas que te fazem relaxar e sorrir. Atividades simples, como tocar violão, cuidar das plantas, pintar telas ou simplesmente jogar um futebol, podem fazer total diferença no meio da rotina.

Indiscutivelmente, precisamos estar atentos a todos os setores de nossa vida. Para fazer uma análise precisa de como está sua dedicação a cada área da sua vida, indico fortemente o processo de coaching, no qual o profissional (coach), com a utilização da ferramenta apropriada ajudará você a identificar as possíveis discrepâncias entre as áreas e a estabelecer ações direcionadas para a busca do equilíbrio.

Rosana Cares

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here