Panorama Político

0
270

Jornal Província Centro Oeste

O deputado federal Delegado Waldir, o mais votado pela segunda vez e  presidente estadual do PSL-GO, afirmou, na manhã da última segunda-feira, 25, que o vídeo da reunião  ministerial do dia 22 de abril é totalmente atípico para pessoas conservadoras e pessoas de bem assistirem. “Acho que foi falado mais de 50 palavrões. Onde está na bíblia a previsão para tanto palavrão? Pareceu mais uma reunião de cabaré”, comparou.

Para o Deputado Federal  delegado Waldir, o governo Bolsonaro claramente se afastou do combate à corrupção. “Os filhos do presidente estão extremamente envolvidos em corrupção, em milícias digitais e milícias comuns”, declarou.

Na interpretação do parlamentar — que foi um dos principais cabos eleitorais de Bolsonaro durante campanha de 2018 — outros fatos ainda estão por vir e vão surpreender. Ele também declarou que antes de encerrar o mandato, os filhos de Bolsonaro terão sérios problemas com a Justiça.

“A história vai mostrar que muitos continuam defendendo bandido”, disse o deputado.

“Comi capim, mas mudei”

De acordo com o deputado, a República de hoje envergonha. “Fui gado. Comi capim, mas eu mudei. Me equivoquei. Hoje não faço mais parte dessa boiada. Não sou tocado à base de berrante. Me envergonha ter eleito um presidente assim”, declarou.

O Deputado  Waldir declarou que terá, na disputa de 2022, o ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, como seu pré-candidato número um à presidência da República. “Ele não quer saber de política, mas hoje seria o nome ideal para a presidência”.

Carlos Ferreira.
Jornalista e Colunista.
DRT 0012376/DF

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here